Os autores deste jornal virtual cumprimentam todos os que passam os olhos pelos assuntos destas páginas.
Sexta-feira, 24 de Novembro de 2006
Dia Mundial da Ciência / Dia Nacional da Cultura Cientifica

Rómulo de Carvalho / António Gedeão

Comemora-se hoje o centenário do seu nascimento.

Biblioteca Nacional 

Ciência Viva

Biblioteca Nacional Digital

Instituto Camões

Biografia

Secretaria Geral do Ministério da Educação

Saudações poéticas do Francisco.


Sinto-me: Iluminado
Música: 'Pedra filosofal' MANUEL FREIRE
Marcadores:

Publicado por caminheiro1 às 23:45
link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Terça-feira, 21 de Novembro de 2006
Hoje é dia de 3 efemérides

Dia Mundial da Televisão

Dia Internacional da Saudação

Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada

Saudações calorosas do Francisco.

Sinto-me: Muito bem
Música: 'Recordações' VÍTOR ESPADINHA
Marcadores:

Publicado por caminheiro1 às 23:12
link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Sexta-feira, 17 de Novembro de 2006
Dia Mundial do Não Fumador

DIA

MUNDIAL

DO

NÃO

FUMADOR

Saudações despoluídas do Francisco.


Sinto-me: Ecológico
Música: 'Deixa-me rir' JORGE PALMA
Marcadores:

Publicado por caminheiro1 às 11:46
link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Quinta-feira, 16 de Novembro de 2006
Hoje comemoram-se duas efemérides

Dia Internacional da Tolerância

 

 TOLERÂNCIA

Em torno de um conceito

de

Carlos Fontes

Dia Mundial do Mar

 

I P I M A R

Instituto de Investigação

das

Pescas e do Mar 

Saudações outonais do Francisco.


Sinto-me: Muito bem disposto.
Música: 'Canção do mar' DULCE PONTES
Marcadores:

Publicado por caminheiro1 às 23:47
link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Terça-feira, 14 de Novembro de 2006
Hoje comemoram-se 2 efemérides

Dia Mundial da Diabetes

Dia Mundial da Usabilidade 

A D S E

A P D P

A P P U

W U D

 Saudações outonais do Francisco.


Sinto-me: Muito bem
Música: 'Cavaleiro andante' RUI VELOSO
Marcadores:

Publicado por caminheiro1 às 14:18
link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Sexta-feira, 3 de Novembro de 2006
Subterrâneos do Porto

 Ei-los! Os aventureiros! os exploradores! Os destemidos que no passado dia 28 de Outubro de 2006 se lançaram na aventura e na exploração dos Subterrâneos do Porto. Eram 14h30 quando se juntaram na Praça 9 de Abril ou Jardim de Arca d'Água. Pelas 15h00 já estavam a descer para o subsolo. E depois de muito suor e alguns quilómetros, os resistentes posaram para a posteridade, pelas 17h00, na escadaria da antiga Faculdade de Engenharia da Rua dos Bragas e actual Faculdade de Direito da Universidade do Porto. Não tendo terminado aqui o percurso, estávamos a escassos minutos do fim da linha. Embora cansativo, foi tão agradável este périplo que o recomendamos vivamente. As expressões de todos nós testemunham-no, claramente.Da epopeia há recordações que podem ser visionadas em

http://fotos.sapo.pt/umdocurso

«Em Manancial de Paranhos/Mina de Arca d'Água , SMAS , Porto :

A Memória
Muito antes de se fazer a captação no rio Sousa, e quando ainda não havia abastecimento domiciliário, a população do Porto abastecia-se de água nas fontes e chafarizes que havia um pouco por toda a cidade.

O Sítio
As fontes e chafarizes eram abastecidas por vários mananciais, dos quais os mais abundantes eram os de Paranhos, Salgueiros, Campo Grande, Camões, Póvoa de Cima, Cavaca, Fontaínhas, Virtudes, Aguardente e Malmeajudas. A nossa visita é ao manancial de Paranhos que foi, sem dúvida, o mais importante, devido à excelente qualidade e pureza da sua água e "ao seu copioso caudal". Era conhecido, também, pelo manancial da Arca d'Água ou Arca das Três Fontes, por serem três as nascentes de onde a água brotava.

O Percurso
A água saía da Arca das Três Fontes, atravessava, por baixo do solo, a antiga estrada de Braga e seguia pela Defesa do Agueto até ao Regado e daqui continuava "alcantilada em arcos" para o Monte Pedral. Por alturas da actual Rua de Antero de Quental (antiga Rua da Rainha) o manancial de Paranhos juntava-se ao de Salgueiros que nasce por ali. Os dois prosseguiam juntos o seu curso, cortando vérios campos até à entrada de Cedofeita, acima do Ribeirinho. Finalmente atravessavam várias propriedades, umas vezes a descoberto outras sob o solo, até aos Ferradores (Praça de Carlos Alberto) e terminava na Arca de Sá Noronha, "junto à Porta do Olival).

A História
A mais antiga notícia que se conhece sobre o abastecimento de água à cidade do Porto remonta ao ano de 1392. Segundo a acta de uma reunião camarária, naquele ano os vereadores ocuparam-se dos chafarizes e fontes porque neles "sse ffaziam grandes Çugidoens de muytos lixos..." Ao certo não se sabe quando começou a ser explorada, para utilidade pública, a água do manancial de Paranhos. Mas sabe-se que no reinado de D.Sebastião os moradores do Porto solicitaram do monarca autorização para utilizar aquela água, em proveito da cidade, oferecendo mil cruzados para a ajuda da encanação. Esta petição, no entanto, perdeu-se. Mais tarde foi de novo formulada, agora a Filipe I que despachou favoravelmente em 20 de Novembro de 1597, mandando que se fizesse a obra. É evidente que não há termo de comparação entre o que foi o primitivo encanamento do manancial de Paranhos e o que ele é hoje.»


«Em Porto d'agoa , Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento , Alexandra Agra Amorim e João Neves Pinto , Instituto Superior de Engenharia do Porto

O problema da água na cidade do Porto
Este manancial de Paranhos não era obviamente o único que abastecia a cidade, embora fosse o mais importante, e se conhecessem referências, bastante anteriores, à sua localização - em 18 de Abril de 1120, já D.ª Teresa se referia a ele na carta de doação e couto do burgo do Porto passada a favor do bispo D.Hugo, aquando da definição dos seus limites.

A sua importância prendia-se obviamente com a incontestável qualidade das suas águas quando comparadas com as de outros mananciais, e com a extraordinária quantidade disponível. De acordo com a toponímia actual, a nascente estava (e está) situada no subsolo no Jardim da Praça 9 de Abril, mais conhecido como Jardim da Arca d'Água, um local situado nessa altura nos arredores da cidade.

As águas jorravam em borbotões do solo da arca, e seguiam por um aqueduto de pedra em galeria, indo alimentar várias fontes ao longo do seu percurso.

O traçado primitivo era sensivelmente diferente daquele que sobreviveu até aos nossos dias, por ser emparte do trajecto a descoberto e sobre arcos, pela qualidade dos encanamentos e até por ter diferente direcção, como se pode deduzir das palavras do padre Balthazar Guedes na sua memória de 17 de Outubro de 1669, encarregado pelo Senado de dirigir as obras de arranjo do aqueduto de Paranhos: "a agua seguia da Arca das tres fontes, depois de atravessar a estrada de Braga, pela Deveza do Agueto até ao logar do Regado; d'ahi caminhava alcantillada em Arcos pelo Monte Pedral e cortava vários campos até á entrada de Cedofeita acima do Ribeirinho; finalmente, atravessando diversas propriedades umas vezes a descoberto outras sob o solo, avistava a cidade por detraz dos Ferradores, vindo a terminar á Porta do Olival".

Várias vistorias executadas ao longo dos tempos foram dando conta de fugas de água e do mau estado da canalização, obstruída por pedras e raízes de árvores, dando lugar a sucessivas obras de beneficiação. mas em 1825, como a água continuasse a extravasar-se "quer porque as obras tivessem sido mal feitas quer porque o aqueduto não fosse devidamente vigiado e protegido", uma nova vistoria levou a Câmara a decidir não só reformar a Arca como também a modificar o encanamento e o seu primitivo traçado. Nessa altura, preocupada com a possível conspurcação das águas deste manancial, ordenou a passagem dos lavadouros públicos, então existentes a nascente da estrada de Braga, para o seu lado poente, onde ainda hoje se encontram.

Em sessão da Junta das Obras Públicas de 16 de Setembro do mesmo ano foi aprovado o novo trajecto que devia incorporar-se a um outro aqueduto já em construção desde Fevereiro de 1790, o de Salgueiros, com origem na actual Rua de Antero de Quental, próximo à Rua da Constituição, onde existiam diversas nascentes, de modo a fazer a mistura das duas águas, reforçando o caudal disponível.

Conduzidas na maior parte do percurso em caleiras abertas sobre o granito, ou em tubos de ferro ou chumbo, no interior de galerias subterrâneas, e tendo por vezes partes do percurso a descoberto, estas águas chegariam à cidade treze anos depois, às 9 horas e 10 minutos da manhã de 7 de Agosto de 1838...»

Saudações subterrâneas do Francisco.


Sinto-me: Satisfeito
Música: 'Porto sentido' RUI VELOSO
Marcadores:

Publicado por caminheiro1 às 23:27
link do artigo | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar aos favoritos
|

Este blog é dos autores que já aderiram, a saber:
Pesquisar neste blog
 
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


Artigos recentes

Passeios pelo Porto

1.º dia mundial da rádio

Quo vadis Portugal?

Guimarães, capital europe...

Pelo Jornal de Notícias

Quo vadis Portugal?

41.º encontro do curso

Finanças

Portugal, aos poucos, vai...

Cimeira

Passeio JN/FNAC de 27 de ...

Homenagem ao fado

Lançamento de livro

São Martinho

Entrega de prémios

Passeios pelo Porto

PPP = Parcerias Público P...

Estou revoltado.

Por favor, comentem.

Orgulho-me de ser paranhe...

Proclamação da República ...

Passeio JN/FNAC de 25 de ...

Quo vadis Portugal?

Passeios pelo Porto

Dia 24 de agosto

Violência em Londres

A cidade do Porto

O dia-a-dia

Efeméride

Dia da Amizade

Conhecer melhor a cidade ...

Conhecer melhor a cidade ...

Onde chegaste tu, Portuga...

Deprimente

Quem nos governou

Dia da mãe

Dia da Terra

Passeios pelo Porto

Tributo a Yuri Gagarin

Passeios pelo Porto

Rosa Albardeira - Baile P...

Passeios pelo Porto

Passeios pelo Porto

Dúvida

Dia do Pai

Homenagem

Passeios pelo Porto

Passeios pelo Porto

Desafio

A barragem do Tua

Arquivos

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Marcadores

1.º dia da rádio

24 de agosto

25 de abril

41.º encontro

5 de outubro

a "arma"

a escola já não é a mesma

A não perder

abril 2006

álcool

aliados

alimentação

almoço de 2005

aniversário

aniversários

antonio barreto

apelo

autores portugueses

avc

bibliotecas

boas vindas

bruxelas

capital cultura 2012

carnaval

cascatas

cidade

cinema

comboios

como participar no blog

comunicados

concurso fotografia

conhecer a cidade

consumidor

contrastes

conversas

crítica

Crítica

crónica de domingo

crónicas

cultura

debates

deprimente

desabafos

desafio

desafios e enigmas

desporto

destaques

dia da água

dia da amizade

dia da música

dia da poesia

dia do café

dia do consumidor

dia do não fumador

dia do pai

dia dos namorados

dia internacional da mulher

dia-a-dia

distinções

educação

Efeméride

efemérides

Efemérides

eleições

encontro 2007

encontro 2008

enganada

entrevistas

erros

espaço de pensamentos

estado de espírito

estou revoltado

europa

fado

feiras rurais

férias

Férias

finanças

fiscalidade

futebol

germano silva

guimaraes

lamentos

lembranças

lendo

livros

música

natal 2008

natal 2009

o porto a pé

passeios

porto

quo vadis portugal

quotidiano

república

são joão

são martinho

Subterrâneos

viagens

visitas guiadas

todas as tags

Ligações úteis
Participar

participe neste blog

mais comentados
Número de visitas
Site Counter
Bpath Counter
blogs SAPO
subscrever feeds