Os autores deste jornal virtual cumprimentam todos os que passam os olhos pelos assuntos destas páginas.
Domingo, 18 de Março de 2007
A minha professora

Tenho para mim que os antigos professores primários das gerações anteriores à minha, e já estou numa fase madura, eram pessoas qualificadas que se dedicavam afincadamente ao ensino dos alunos. Faziam parte dum trio – padre, professor e médico – que durante muitos anos foram a coqueluche da cultura pelo interior do nosso país. Também nas cidades e aqui no Porto em particular, nos primórdios de 1970, era frequente encontrar esses mestres ao fim da tarde em tertúlia de troca de saberes no Café Embaixador na Rua Sampaio Bruno, ou no Palladium na Rua de Santa Catarina ambos em pleno coração da cidade. O velho Natal, um deles, era um ferrinho (velho, é uma força forte de expressão, passe a redundância, pois nem chegou a sexagenário). Eram esses professores, não seguidores do laissez faire, laissez passer, mas exigentes na sala de aula. A cada passo apanho nas biografias de actuais pesos pesados e todos eles não se cansam de elogiar o seu professor primário, Belmiro de Azevedo na sociedade civil e na política Sócrates a título de exemplos. Eu próprio sou também um testemunho do empenhamento da minha professora, única na escola. Sendo natural da cidade assentou arraiais ainda jovem professora na minha aldeia e por lá ficou durante a vida a leccionar. Esteve sempre hospedada, era como se fosse família, na casa dum senhor que tinha um pequeno comércio “venda” e que acumulava com a profissão de capador de quadrúpedes, nas redondezas. Era solteira e assinante do jornal “O Comércio do Porto” que lhe servia de cordão umbilical com a civilização.
Eu que fui um aluno médio não escapava à dureza da professora que usava régua, sim senhor, um tanto ensebada do uso pois era de caixão à cova. Um dia numa sabatina de história fiquei um pouco hesitante na resposta, daí a investida verbal da professora perante a minha apatia:
- Então Antoninho? (era assim que a professora me tratava. Aqui um parênteses para um senão. Eu como era filho dum pequeno proprietário, até calçava chancas, em contraste com a maioria que eram filhos de caseiros, usavam tamancos, era tratado com deferência. Questões culturais da época que durante alguns anos me deixaram marcas pela negativa no relacionamento com os meus colegas.)
- Estou a pensar, Sr.ª. Professora!
- A pensar morreu um burro, vociferava a mestra.
O que se seguiu já não tenho presente mas a coisa era a doer. E então nos ditados, cada erro, cada reguada e na tabuada idem aspas. Todos os da minha geração e anteriores lá da terra recordam a senhora pela exigência e profissionalismo a todos os níveis. Chegava até a mandar alunos buscar a casa os faltosos, pois empregada na escola não havia, certamente estariam a ajudar os pais nos trabalhos agrícolas.
Por tudo isso bem-haja professora D. Maria Mendonça, a homenagem que teve ainda em vida foi bem merecida.
P.S. A história da “menina dos cinco olhos” da imagem ficará para momento oportuno.

Obrigado, antonio


Marcadores:

Publicado por antonioduvidas às 08:45
link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

1 comentário:
De caminheiro1 a 18 de Março de 2007 às 18:41
É por esta e por outras que eu te admiro, António. Não estou a brincar. Estou até a falar muito a sério. É que este artigo só podia nascer da cabeça de uma pessoa que gosta mesmo do que faz e que gosta mesmo disto. Disso, eu já não tinha dúvidas. Fantástica a ideia que foste buscar para desenvolver. Maravilhosa a imagem com que ilustras a prosa. Só tenho pena é que nem este teu artigo suscite comentários e/ou a publicação de artigos junto de quem passa por aqui, tem coragem para espreitar mas não tem tempo para se mostrar. É lamentável que nem esta recordação que evocas provoque qualquer coisa junto das e dos nossos colegas. Um abraço sentido e reconhecido deste que te estima. Francisco.


Comentar artigo

Este blog é dos autores que já aderiram, a saber:
Pesquisar neste blog
 
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


Artigos recentes

Passeios pelo Porto

1.º dia mundial da rádio

Quo vadis Portugal?

Guimarães, capital europe...

Pelo Jornal de Notícias

Quo vadis Portugal?

41.º encontro do curso

Finanças

Portugal, aos poucos, vai...

Cimeira

Passeio JN/FNAC de 27 de ...

Homenagem ao fado

Lançamento de livro

São Martinho

Entrega de prémios

Passeios pelo Porto

PPP = Parcerias Público P...

Estou revoltado.

Por favor, comentem.

Orgulho-me de ser paranhe...

Proclamação da República ...

Passeio JN/FNAC de 25 de ...

Quo vadis Portugal?

Passeios pelo Porto

Dia 24 de agosto

Violência em Londres

A cidade do Porto

O dia-a-dia

Efeméride

Dia da Amizade

Conhecer melhor a cidade ...

Conhecer melhor a cidade ...

Onde chegaste tu, Portuga...

Deprimente

Quem nos governou

Dia da mãe

Dia da Terra

Passeios pelo Porto

Tributo a Yuri Gagarin

Passeios pelo Porto

Rosa Albardeira - Baile P...

Passeios pelo Porto

Passeios pelo Porto

Dúvida

Dia do Pai

Homenagem

Passeios pelo Porto

Passeios pelo Porto

Desafio

A barragem do Tua

Arquivos

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Marcadores

1.º dia da rádio

24 de agosto

25 de abril

41.º encontro

5 de outubro

a "arma"

a escola já não é a mesma

A não perder

abril 2006

álcool

aliados

alimentação

almoço de 2005

aniversário

aniversários

antonio barreto

apelo

autores portugueses

avc

bibliotecas

boas vindas

bruxelas

capital cultura 2012

carnaval

cascatas

cidade

cinema

comboios

como participar no blog

comunicados

concurso fotografia

conhecer a cidade

consumidor

contrastes

conversas

crítica

Crítica

crónica de domingo

crónicas

cultura

debates

deprimente

desabafos

desafio

desafios e enigmas

desporto

destaques

dia da água

dia da amizade

dia da música

dia da poesia

dia do café

dia do consumidor

dia do não fumador

dia do pai

dia dos namorados

dia internacional da mulher

dia-a-dia

distinções

educação

Efeméride

efemérides

Efemérides

eleições

encontro 2007

encontro 2008

enganada

entrevistas

erros

espaço de pensamentos

estado de espírito

estou revoltado

europa

fado

feiras rurais

férias

Férias

finanças

fiscalidade

futebol

germano silva

guimaraes

lamentos

lembranças

lendo

livros

música

natal 2008

natal 2009

o porto a pé

passeios

porto

quo vadis portugal

quotidiano

república

são joão

são martinho

Subterrâneos

viagens

visitas guiadas

todas as tags

Ligações úteis
Participar

participe neste blog

mais comentados
Número de visitas
Site Counter
Bpath Counter
blogs SAPO
subscrever feeds