Os autores deste jornal virtual cumprimentam todos os que passam os olhos pelos assuntos destas páginas.

Segunda-feira, 24 de Setembro de 2007
CELEIRÓS DO DOURO – LAGARADA TRADICIONAL

Este fim-de-semana, foi passado lá para o Douro e de forma bem animada. Já tinha a pulga atrás da orelha, pois o Professor José Hermano Saraiva, há algumas semanas atrás, tinha referenciado no seu programa televisivo a Festa da Lagarada Tradicional, em Celeirós do Douro no concelho de Sabrosa.

Celeirós dista 5 km da sede do concelho, tem uma área aproximada de 525ha e apenas 267 habitantes; possui um património histórico-cultural constituído por cinco casas senhoriais com seus bonitos brasões de armas, pela igreja matriz e por duas capelas particulares, sendo uma delas um exemplar de arquitectura barroca do século XVIII.

Chegamos a Celeirós na sexta-feira ao fim da tarde, entrámos com a autocaravana pela aldeia abaixo, mas com muita dificuldade, pois as ruas eram estreitas demais e quase... quase... que não vínhamos aldeia acima!... Felizmente estávamos a ser seguidos por um morador atento, que nos deu todas as indicações para que não ficássemos “encalhados” e, assim conseguimos um lugar de cinco estrelas para nos acomodarmos.

A pé, pelo meio da aldeia, fui-me apercebendo da alegria e empenhamento que os habitantes punham em tudo que faziam. Onde parássemos, havia sempre motivo para troca de palavras e brincadeiras – parecia que já fazíamos parte daquela gente! Deve ser bem salutar viver em lugares assim...

Num armazém antigo estavam oito enormes lagares comunitários, feitos de granito, interligados entre si e já com mais de 200 anos. Havia uma correria constante de pequenas camionetas de carga, vindas de diversas quintas a despejarem as uvas nos lagares e, claro está, que se ia depenicando aqui, ali e acolá!...

Os preparativos para a festa não paravam envolvendo pessoas de todas  as idades, pois havia muita vontade de trabalhar e trabalho para toda a gente. Foram montadas pequenas barraquinhas onde iria funcionar a Feira dos Sabores e do Artesanato.

Já era bem tarde quando recolhemos, mas o trabalho daquela gente estava bem longe do fim.

No sábado de manhã, davam-se só os últimos retoques para que nada falhasse.

Os acepipes servidos nas barraquinhas eram diversos, sendo uns confeccionados em casa e outros ali, na rua, mesmo junto dos clientes; os aromas das sopas e dos grelhados cruzavam-se no ar afiando o apetite. O vinho aparecia por todo o lado e era quase obrigatório provar, ou beber, para que ninguém ficasse melindrado.                                                                      Um grupo de Gaiteiros de Miranda do Douro e outro grupo de Concertinas de Felgueiras, não paravam de tocar, fazendo as pessoas vibrar de alegria. Já tínhamos feito a inscrição prévia e estávamos devidamente equipados, para a pisa do vinho. Entrámos para um dos lagares e então foi um tal pisar, conversar, rir, cantar, brincar, dançar... Nunca tinha experimentado sensação igual e fiquei pasma como é possível ir buscar tantas energias a convívios tão singelos como este. 

Se forem a alguma lagarada, tenham cuidado, pois as pernas ficam a doer bastante e os pés ficam mesmo da cor do vinho. Se souberem, por favor deêm--me a receita para os meus pés voltarem à cor normal.

Bem haja quem promove eventos como este, pois em Portugal temos muitas tradições que merecem não serem perdidas com o tempo.

 

Um abraço da Porcina

 


Sinto-me: Animada
Música: Baile Picado
Marcadores:

Publicado por trocapalavras às 23:12
link do artigo | Comentar | Ver comentários (20) | Adicionar aos favoritos
|

Domingo, 9 de Setembro de 2007
VISITA A VENEZA – O MEU GRANDE SONHO

Veneza, é uma cidade flutuante, que foi construída durante séculos, sobre as ilhas baixas da lagoa veneziana e os seus alicerces estão feitos com estacas de madeira, fincadas numa base de argila; os canais são as ruas e avenidas da cidade, que foi uma entrada privilegiada, dos viajantes que chegavam à Europa, vindos do Oriente

A cidade de Veneza, estava na minha mente,  já num passado bastante remoto e, nestas férias consegui realizar este sonho. Partimos (eu e o meu Luís) para uma grande aventura, em direcção a Lourdes, Pavia, Milão, Pádua e finalmente chegamos a Veneza… Em Mestre, bem cedinho, apanhamos o comboio, que nos levou até à estação de Santa Luzia para aí tomarmos o vaporeto que nos levaria até à Praça de S. Marcos, conhecida pela sala de visitas dos turistas. O percurso durou cerca de quarenta e cinco minutos, que foram bem vividos , pois a cabeça não parava de rodar e rodopiar, para conseguir tirar o maior partido da viagem. Edifícios monumentais, sendo alguns deles utilizados para habitações, hóteis, restaurantes e casino, orlavam os canais. Numa grande azáfama, já andavam os barcos-táxis, os barcos de entrega de mantimentos, o barco-ambulância, o barco-polícia, o barco..., enfim, todo o tipo de barco-transporte essencial para que uma cidade possa servir e ser servida.

A Praça de S. Marcos está delimitada por edifícios famosos, vendo-se ao fundo a fachada da Basílica de S. Marcos, o Campanário revestido a tijolo, a Torre do Relógio e o Palácio Ducal. Existem também grandes galerias, com um comércio variado e famosos cafés, que estendem as suas esplanadas pela praça, onde pequenas orquestras competem entre si, tocando músicas clássicas e populares.

A Basílica, no seu interior, é de arquitectura bizantina e muito rica em mármores e mosaicos dourados. Relativamente à parte exterior, cada século contribuiu para o seu adorno, pois era raro um navio voltar do oriente sem trazer uma coluna, capitéis ou frisos retirados de algum edifício e destinados à igreja. Aos poucos, a alvenaria exterior de tijolos foi recoberta com mármores e outros elementos, alguns mais antigos que o próprio prédio.

A Torre do Relógio, construída no final do século XV, exibe as fases da lua e os signos do Zodíaco, representados em azul e dourado no grande relógio; no cimo está a figura do leão alado, símbolo da cidade de Veneza.

O Palácio Ducal, mostra o poder e a glória de Veneza do século XII, com obras de Bellini, Carpaccio, Tiziano e, principalmente, Tintoretto.

 Na Praça de S.Marcos, fiquei surpreendida com as cotoveladas e pequenos encontrões que fui levando, pois o número de turistas era muito grande, mas impressionou-me mais ainda, o número de pombos rechonchudos que andava no meio da multidão, pois eram em número superior ao das pessoas. O segredo para aquelas aves estarem tão gordas, era  haver vendedores ambulantes a fornecerem(venderem) pequenos saquitos com seis a dez grãos de milho por um euro; certamente teriam na mistura algum grão de ouro!...

Andei na famosa Ponte de Rialto, pois aí podemos ver toda a beleza e extensão  do Grande Canal. Em relação às Gôndolas, fiquei boquiaberta com a decoração das mesmas, pois todas elas são veludos e sedas e não param de circular!...

A Praça da Palha é um local de tentação, pois é cheia de barracas que vendem de tudo um pouco, não faltando colares de coral, pedras e cristal ( ou plástico); as máscaras de Veneza são aos milhares e algumas delas também já parecem ter milhares de meses ao sol.

Andei por ruas e ruelas, por todo o lado havia água e encontrava novos encantos. Foi maravilhoso!!!...

É verdade... Já me esquecia de vos dizer, que não me esqueci de comer o famoso Sorvete Italiano.

 

 Um abraço da Porcina


Sinto-me: Em férias
Música: Ao gosto de cada um
Marcadores:

Publicado por trocapalavras às 22:24
link do artigo | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
|

Este blog é dos autores que já aderiram, a saber:
Pesquisar neste blog
 
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


Artigos recentes

CELEIRÓS DO DOURO – LAGAR...

VISITA A VENEZA – O MEU G...

Arquivos

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Marcadores

1.º dia da rádio

24 de agosto

25 de abril

41.º encontro

5 de outubro

a "arma"

a escola já não é a mesma

A não perder

abril 2006

álcool

aliados

alimentação

almoço de 2005

aniversário

aniversários

antonio barreto

apelo

autores portugueses

avc

bibliotecas

boas vindas

bruxelas

capital cultura 2012

carnaval

cascatas

cidade

cinema

comboios

como participar no blog

comunicados

concurso fotografia

conhecer a cidade

consumidor

contrastes

conversas

crítica

Crítica

crónica de domingo

crónicas

cultura

debates

deprimente

desabafos

desafio

desafios e enigmas

desporto

destaques

dia da água

dia da amizade

dia da música

dia da poesia

dia do café

dia do consumidor

dia do não fumador

dia do pai

dia dos namorados

dia internacional da mulher

dia-a-dia

distinções

educação

Efeméride

efemérides

Efemérides

eleições

encontro 2007

encontro 2008

enganada

entrevistas

erros

espaço de pensamentos

estado de espírito

estou revoltado

europa

fado

feiras rurais

férias

Férias

finanças

fiscalidade

futebol

germano silva

guimaraes

lamentos

lembranças

lendo

livros

música

natal 2008

natal 2009

o porto a pé

passeios

porto

quo vadis portugal

quotidiano

república

são joão

são martinho

Subterrâneos

viagens

visitas guiadas

todas as tags

Ligações úteis
Participar

participe neste blog

mais comentados
Número de visitas
Site Counter
Bpath Counter
blogs SAPO
subscrever feeds