Os autores deste jornal virtual cumprimentam todos os que passam os olhos pelos assuntos destas páginas.
Quarta-feira, 18 de Abril de 2007
SR. ENGº...., POR FAVOR, AO TELEFONE

Cafés com o nome "O NOSSO CAFÉ" encontram-se a miúdo em várias terras. Aqui na cidade do Porto pelo menos dois recordo-me eu, ambos já finados.
Mas aquele que aqui quero trazer à liça situava-se junto ao Campo 24 de Agosto no Porto. Tinha duas entradas, uma pela Av. Camilo, mesmo ao lado do busto do escritor, e outra pela Rua do Bonfim. Era de um formato tipo comboio tal como a sala de jogos ao lado.
Seu proprietário, o Senhor Fontes, oriundo de terras de Cinfães tinha presença assídua só para visionar o bom andamento do seu café. Tinha subido na vida a pulso depois de ter passado as passas do Algarve segundo um dia me pode testemunhar.
O café era frequentado por estudantes que tinham devidamente identificado o local para o marranço. Tinha um horário alargado até às duas da matina como muitos outros estabelecimentos do género pela cidade. Actualmente quase todos fecham a partir das oito da noite, hora a partir da qual a cidade começa a ficar entregue a si própria, às moscas.
Era dotado duma instalação sonora para chamar os clientes ao telefone:
Sr. Engenheiro fulano…. ou Sr. Dr. sicrano… faça o favor de chegar ao telefone” (actualmente todo o gato sapato tem telemóvel para ser contactado). Imagine-se o sururu que era ver o detentor de tal deferência levantar-se e ir cheio de nove horas atender a chamada, pois na altura eram poucos os letrados. Agora nos tempos que correm não faltam por aí engenheiros a dar com um pau!... Há por aí cursos em todo o bicho careta e alguns são autênticas trapalhadas como tem vindo a público. Às vezes do outro lado da linha, a título de brincadeira ou talvez não, inventavam uma engenharia para o senhor fulano de tal. Portanto não é só de agora o fabrico e apetência da nossa gente pelos canudos, está intrínseco na maneira de ser de todo o portuga e não é exclusivo do mais pintado. É uma fatalidade pobrezinha de elevação do ego que devemos preservar, são as nossas referências e o nosso cunho personalizado que nos deve diferenciar dos outros povos da comunidade europeia!...
Em consequência de nesse café haver muita estudantada era habitual topar por lá uns figurões da PIDE/DGS, a sede do Porto ficava perto, aparentemente a tomar um café como quem não quer a coisa mas na realidade a sondar se a malta não estaria a urdir contestações à ordem estabelecida. Eram tipos engravatados mais ou menos referenciados pelo maralhal; mais perigosos eram os “bufos” que às vezes estavam ao nosso lado no local de trabalho, eram mesmo uns escroques que se vendiam por dez reis de mel coado, uma pequena tensa que lhes dava a DGS! Eu sei que os tempos eram difíceis e tudo o que viesse dava jeito, mas!... Está tudo mais que absolvido até porque a situação actual do país não é nada famosa – a pobreza está a aumentar com a consequente criminalidade e os ricos são cada vez mais. Isto só serve àqueles que gravitam à volta do poder partidário para açambarcar os melhores tachos ou enriquecendo da noite para o dia a vender quintas que estavam na RAN e deixaram de estar!... Estás perdoado ou quase, Salazar!... o concurso televisivo “os melhores portugueses” foi sintomático do estado de alma da nossa gente. Para mim foi um resultado lógico que fez mexer na cadeira os defensores das amplas liberdades como se isto por si só enchesse barriga!...

O Café “O Nosso Café” já há muito que fechou, o dono já partiu também desta vida, o jardim do Campo 24 de Agosto que fica ali ao lado está descaracterizado devido às obras do metro e nós estamos mais maduros. Restam as memórias!...

(Qualquer semelhança de casos pontuais de títulos honoríficos da crónica com a actualidade é pura coincidência)

Fiquem bem, antonio


Marcadores:

Publicado por antonioduvidas às 18:21
link do artigo | Comentar | Adicionar aos favoritos

6 comentários:
De Maria da Graça a 18 de Abril de 2007 às 19:13
Olá António. Mais uma vez, os meus Parabéns!
Que bom artigo...
Pois e a anotação de que qualquer semelhança com a vida real é pura coincidência... Gostei.
Não foi surpresa nenhuma, para mim, tu abordares a história dos "canudos" no passado! Claro...
Sinceramente, já estava à espera, e com entusiasmo ,que tu "pegasses" nesse assunto.
E pegaste. Já cá tardava! Gostei mesmo.
Espero que tenhas lido os meus comentários aos teus artigos e "Chega-te sempre para a frente" que a malta (e eu) agradecemos.

Até breve
Maria da Graça


De trocapalavras a 19 de Abril de 2007 às 17:37
António. gostei mesmo de ler teu artigo. Vejo que estás sempre alerta e gostas mesmo de comunicar...
Um abraço
Porcina


De J. Alves a 20 de Abril de 2007 às 00:56
Ao ler a sua crónica, "Engº ao Telélé", veio-me ao goto débeis lembranças desse local, não consigo identificar com clareza o nome do café, mas penso que seja o mesmo, a verdade é que construímos um prédio, cujo terreno dava para as duas ruas, foi construído uma fachada para a rua do Bonfim, e outra, com seis andares para a Av.Camilo, entre o dito café, e uma casa velha, ocupada por jovens de ambos os sexos, que pertenciam a um partido de esquerda, que nunca mais ouvi falar, em 1974, criavam-se partidos como cogumelos, a construção crescia, as janelas deles, com vidros partidos, deixavam antever a nu, a vivência duma comunidade fortemente progressista, que nos deixava com os olhos em bico. Embora estas recordações estejam um pouco influidas, chegamos a falar de negócios com o proprietário desse café, esta lembrança, na próxima vez que lá passar, a hei-de rever.
António os meus parabéns, pela construção da caminhada, com algumas metáforas pelo caminho, chegou ao Engenheiro, será?


De antonioduvidas a 20 de Abril de 2007 às 21:19
Aí nesse local que fala, gente de partido de esquerda não estou a ver. Recordo-me sim, a cerca de 50 metros no palacete que faz gaveto das ruas Morgado Mateus, Cecília Meireles e Santo Ildefonso, a LUAR ter aí instalado um infantário. Cheguei a entrar nesse imponente edifício e dele recordo escadaria em madeira e tectos de lhe tirar o chapéu!... Continua décadas depois devoluto e agora mais degradado entregue aos gatos e às pombas.


De antonioduvidas a 22 de Abril de 2007 às 11:38
Corrijo para Rua Cidália Meireles e não Cecília Meireles.
Confirmo agora a existência dessa casa velha onde havia gente dum partido revolucionário de esquerda. Actualmente nesse local há construção nova.


De cõllybry a 20 de Abril de 2007 às 23:00
De facto, não perde ganha companhia...desculpa mas não consegui comentar acima...vejop que gostas de pensamentos, da uma olhada___________
meu rasto e uma bjca, Cõllybry

8deculpa mas não consegui com o meu endereço da sapo:
http://olharindiscreto.blogs.sapo.pt/


Comentar artigo

Este blog é dos autores que já aderiram, a saber:
Pesquisar neste blog
 
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


Artigos recentes

Passeios pelo Porto

1.º dia mundial da rádio

Quo vadis Portugal?

Guimarães, capital europe...

Pelo Jornal de Notícias

Quo vadis Portugal?

41.º encontro do curso

Finanças

Portugal, aos poucos, vai...

Cimeira

Passeio JN/FNAC de 27 de ...

Homenagem ao fado

Lançamento de livro

São Martinho

Entrega de prémios

Passeios pelo Porto

PPP = Parcerias Público P...

Estou revoltado.

Por favor, comentem.

Orgulho-me de ser paranhe...

Proclamação da República ...

Passeio JN/FNAC de 25 de ...

Quo vadis Portugal?

Passeios pelo Porto

Dia 24 de agosto

Violência em Londres

A cidade do Porto

O dia-a-dia

Efeméride

Dia da Amizade

Conhecer melhor a cidade ...

Conhecer melhor a cidade ...

Onde chegaste tu, Portuga...

Deprimente

Quem nos governou

Dia da mãe

Dia da Terra

Passeios pelo Porto

Tributo a Yuri Gagarin

Passeios pelo Porto

Rosa Albardeira - Baile P...

Passeios pelo Porto

Passeios pelo Porto

Dúvida

Dia do Pai

Homenagem

Passeios pelo Porto

Passeios pelo Porto

Desafio

A barragem do Tua

Arquivos

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Marcadores

1.º dia da rádio

24 de agosto

25 de abril

41.º encontro

5 de outubro

a "arma"

a escola já não é a mesma

A não perder

abril 2006

álcool

aliados

alimentação

almoço de 2005

aniversário

aniversários

antonio barreto

apelo

autores portugueses

avc

bibliotecas

boas vindas

bruxelas

capital cultura 2012

carnaval

cascatas

cidade

cinema

comboios

como participar no blog

comunicados

concurso fotografia

conhecer a cidade

consumidor

contrastes

conversas

crítica

Crítica

crónica de domingo

crónicas

cultura

debates

deprimente

desabafos

desafio

desafios e enigmas

desporto

destaques

dia da água

dia da amizade

dia da música

dia da poesia

dia do café

dia do consumidor

dia do não fumador

dia do pai

dia dos namorados

dia internacional da mulher

dia-a-dia

distinções

educação

Efeméride

efemérides

Efemérides

eleições

encontro 2007

encontro 2008

enganada

entrevistas

erros

espaço de pensamentos

estado de espírito

estou revoltado

europa

fado

feiras rurais

férias

Férias

finanças

fiscalidade

futebol

germano silva

guimaraes

lamentos

lembranças

lendo

livros

música

natal 2008

natal 2009

o porto a pé

passeios

porto

quo vadis portugal

quotidiano

república

são joão

são martinho

Subterrâneos

viagens

visitas guiadas

todas as tags

Ligações úteis
Participar

participe neste blog

mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds